Mais um domingo negro para as Testemunhas de Jeová nos Estados Unidos



O último domingo de abril não foi nada bom para as Testemunhas de Jeová nos
 Estados Unidos . Mais uma vez , a mídia do país trouxe informações sobre os casos de abusos sexuais contra crianças acontecidos nas fileiras da organização religiosa . 

O jornal impresso The Philadelphia Inquirer , publicou nesse domingo , dia 29 de abril , um artigo que ocupou um total de quatro páginas como destaque os casos de pedofilia na seita Testemunhas de Jeová . Segundo informações , o alcance do jornal impresso deve ter atingido um publico de 968.000 pessoas .

















A reportagem trás o caso de uma menina de quatro anos de idade que foi abusada sexualmente por um  adolescente que pertence a organização religiosa . 
No jornal é possível de se ler a seguinte informação  . 


A menininha tinha 4 anos, rosto redondo e sardenta e vestia o melhor de domingo. Ela estava se mexendo ao lado de seu pai dentro do Salão do Reino das Testemunhas de Jeová em Red Lion, no Condado de York - um espaço seguro e familiar para uma família que passava quase todo o seu tempo livre pregando e orando.
Martin Haugh estava momentaneamente preocupado, distribuindo tarefas para as outras Testemunhas de Jeová para o trabalho ministerial de porta em porta. Quando ele olhou para a filha, ela se foi. Haugh mergulhou no pânico em câmera lenta do pior pesadelo de todos os pais .Ele atravessou o prédio de tijolos de um andar, chamando o nome dela, a ansiedade acumulando-se como blocos de concreto em seu peito a cada momento que passava. Ela não estava nos banheiros, ela não estava no saguão. Ele tentou uma sala de casacos e a encontrou lá. Mas ela não estava sozinha .
A filha de Haugh estava sentada no colo de um adolescente que a atraíra para longe. Ele estava molestando ela. 
Como as Testemunhas de Jeová lidaram com o abuso sexual sofrido pela menina de quatro anos de idade em suas fileiras ?  


Quando Haugh e sua esposa, Jennifer, disseram aos anciãos que supervisionaram sua congregação sobre o incidente de outubro de 2005, eles foram recebidos com uma preocupação silenciosa. Então vieram as ameaças.
"Fomos informados em mais de uma ocasião que, se disséssemos a outros pais sobre isso, seríamos disciplinados", disse Haugh, 41 anos, durante uma entrevista recente.
"Nós nunca ouvimos as palavras 'Vá para a polícia!' ou "Você está considerando terapia para ela?" "sua esposa acrescentou. "Então as pessoas pararam de falar conosco."
Os Haughs estavam profundamente enredados no mundo das Testemunhas de Jeová - Martin era a quinta geração - mas esse foi o primeiro contato com o muro de silêncio em que os líderes religiosos se basearam para evitar que alegações de abuso sexual de crianças atingissem a lei
Os textos acima foram traduzidos pelo Google .



O artigo por completo pode ser lido no link indicado abaixo . 

www.philly.com/philly/news/jehovahs-witnesses-sexual-abuse-children-beliefs-rules.html

Comentários

  1. Só tenho uma coisa a dizer asco desta seita é é us apoiadores Coniventes.

    ResponderExcluir
  2. Torre de Vigia é religião falsa.
    A religião verdadeira é Nosso
    Senhor Jesus. Ele é o caminho
    A verdade e a vida!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Vazamento de carta indica que Testemunhas de Jeová lançarão um novo livro em outubro

Testemunha de Jeová vira herói do Grêmio na Taça Libertadores da América

Testemunhas de Jeová são acusadas de incentivar mulheres a suportar violência