Corpo Governante reconhece que muitos estão deixando de serem Testemunhas De Jeová por conta própria .

Durante o programa de fevereiro a direção das
Testemunhas De Jeová reconheceu que muitos estão deixando
a religião por conta própria 
Foi levado ao ar no início desse mês mais uma programa mensal com as palavras do Corpo Governante pela JW Broadcasting a emissora de televisão das Testemunhas De Jeová .
Nesse programa mensal do mês de fevereiro de 2016 uns dos ajudantes do Corpo Governante que apresentou o programa reconheceu que muitos estão deixando a religião por conta própria .
Durante a transmissão o apresentador do programa mencionou , SE VOCÊ ESTÁ PENSANDO EM ABANDONAR A JEOVÁ REFLITA SOBRE ISSO .
Pelas suas palavras podemos dizer que a direção da religião está muito preocupada com o grande número de pessoas que estão abandonando a religião por conta própria .
A direção da religião reconhece que os abusos sexuais de crianças cometidos por membros da religião e que foram encobertos pela religião e também os trabalhos de opositores tem fazido com que muitos afastem e outros estão pensando em fazer o mesmo .
Nesse momento o número de pessoas de pessoas que deixaram a religião nos últimos anos já passa de mais de um milhão .
Na tentativa de fazer com que eles retornem para a religião durante o mês de março de 2016 será realizada uma campanha para convidarem os afastados a assistirem a Celebração Da Morte De Cristo e também o Discurso Especial nos Salões Do Reino .

Comentários

  1. Tem que largar mesmo. Uma seita discriminatória. Separa famílias. Segregadora. Mentirosa, insana. Limita a vida das pessoas. Se acham os escokescol. Como ainda tem pessoas que acreditam nesta seita ? Seja inteligente, saia fora disso, nan estrague sua vida

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Pedofilia leva polícia a invandir sede das Testemunhas de Jeová na Holanda

Incêndio destrói Salão do Reino das Testemunhas de Jeová nos Estados Unidos

Testemunhas de Jeová estão sendo processadas na Suécia por exibirem vídeos inapropriados para menores